quinta-feira, 7 de outubro de 2010

A pedra do Drummound

Acabei de chegar em casa após um dia inteiro de trabalho.
Estava voltando super cansada e no meio do caminho parei em um sinal numa grande avenida. Olhei pela janela e vi um grupo de 4 crianças numa praça.
Elas tinham no máximo 10 anos, estavam sem as blusas e corriam por entre os esguichos de água das fontes da praça.
Davam gargalhadas, faziam piruetas, davam pulos.
Fiquei olhando e pensei: Alegria é uma coisa meio que contagiosa!
As pessoas olhavam e sorriam também! Nada mais revigorante do que ver a felicidade mesmo que alheia.
Logo em seguida, e não me pergunte o porquê, eu me lembrei do poema "No meio do caminho" do Drummond.
Eu e ele somos muito diferentes!
No meio do meu caminho não tinha uma pedra, no meio do meu caminho tinha uma flor.

9 comentários:

Jaque ઇ‍ઉ disse...

Ah Carol, realmente é contagiante. E melhor quando nós contagiamos as pessoas.

E são as pequenas e simples coisas que nos fazem felizes.

Beijos e bom descanso!

Paula Nunes disse...

Nossa que profundo, lindo.
é engraçado como nas pequenas coisas encontramos a verdadeira felicidade, muito lindo seu texto.

Beijos

Paula Nunes

Clara disse...

Alegria é contagiante, sobretudo quando ela irradia de crianças. Acho que também sou diferente de Drummond, pois se existe algum momento no meu dia em que sou positiva é quando caminho: sempre espero as mais bonitas surpresas!

Paula disse...

Que lindo! E com certeza, essas pequenas coisas podem mudar um dia inteiro! ate pq, sao essas pequenas felicidades no dia que se constituem um grande felicidade ;D
Bjos

Sarah disse...

Carol acho q é muito de cada um ver com os olhos q quer ver, nao é?
Levar a vida numa boa e se stressando menos, sao flores quase diarias!
obrigada pelas palavras fofas no blog! volte sempre sempre!
beijinhos bom fim semana

ONG ALERTA disse...

Encantador, beijo Lisette.

Anuska disse...

É contagiante mesmo, por isso devemos rodear-nos de pessoas de bem com a vida. Vida perfeita ninguém tem, a diferença está na forma de encará-la.

Daniel Savio disse...

Dá um pouco de nostalgia da nossa infância, não é?

De tempo mais loucos e ao mesmo tempo mais seguros...

Fique com Deus, menina Carolina de Castro.
Um abraço.

Curiosa disse...

quelindo !
adorei ...
que 2011 khe traga muitas flores ...
bj