sábado, 5 de janeiro de 2008

Esperança

No meio da cidade brotou uma flor.
No meio do peito nasceu um amor.

2 comentários:

José Oliveira Cipriano disse...

Oi, Carolina!!!
Obrigado por sua visita, por seu comentário. Você é muito gentil!
Tô retribuindo a visita. De cara, dá prara ver que você tem um astral
ótimo. Gosto dessa coisa de frases curtas, mas carregadas de sentido;
coisa que não sei fazer; meus textos acabam sendo longos. Outra
coisa que me chamou atenção: a mim me parece um diário cheio de lirismo, feito por uma pessoa amadurecida, portanto sem aquelas pieguices de diário de adolescente. Não tome isso como um insulto, muito pelo contrário, é um elogio feito com sinceridade. Estou comentando esta primeira poesia - porque é poesia - porque me tocou por sua simplicidade, também porque gosto muito de rosas e o texto é belíssimo em sua simplicidade! Parabéns!!!!!
Um abraço,

Oliveira

Márcia Leite disse...

Muitoooo singelo!

=)