quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Moeda de Troca

Existe um equívoco muito grande sobre relacionamentos que eu gostaria de esclarecer.
Para mim mesma talvez.
Relacionamentos não servem para aprendermos a lidar e evoluir com os defeitos alheios.
Eles servem para aprendermos com os nossos próprios defeitos.
O problema não está no outro.
Ele está dentro de nós.

11 comentários:

Carolina Cunha disse...

é bem verdade!

Ailмα... disse...

Concordo em gênero, número e grau.
Pena que a maioria de nós nem se dá conta disso!!


Beeeeiiiijos*)

Madame Poison disse...

É...mas é sempre tempo de aprendermos!

Besitos fofitos Carolita!

Stefani Martins disse...

Obrigada por visitar meu espaço. Volte mais vezes, ta.

Mas isso que disseste é muito verdade. Na realidade, responsabilizar o outro e nos colocar em posição de passividade diante dos fatos é mais confortável, e também estagnante.

Abraço,

ventosnaprimavera disse...

Gostei muito do seu texto, realmente é verdade o que fala.Parabéns.Tem um selo de presente pra você no meu blog, passe e pegue.Tudo de bom.Arnoldo Pimentel

Daniel Savio disse...

Concordo em parte, mas também problemas que acaba sendo de ambos (pois tem os dois discutir e argumentar, não apenas reclamar)...

Fique com Deus, menina Carolina de Castro.
Um abraço.

Sαbrinα disse...

Com certeza..
ás vezes a ilusão estar na gente, a falta de amor estar na gente..
o problema, talvez seja um, está mesmo dentro de nós..

Ives disse...

Olá.
Que grande arte é a do relacionamento, que grande troca essa de ser tese e antítese!
Acredito que exista uma chama maior nisso tudo, a paixão. O outro nos desafia por ñ termos a coragem de nos aventurar no abismo que ele vai. Sedução e mistério...bjsss

Ives disse...

Eis as falas da minha sábia mãe!
"Se dermos valor a tudo o que falam, nos fechamos em nosso quarto e nos isolamos"! As vezes um amigo te ofende, a vilania esta na alma, mas podemos superar!! bjss

Meire disse...

Eu bem sei disso!

digo que sou... disse...

Adorei o breve texto, mas que me fez refletir.
Escreves bem, tem uma ternura que cativa mesmo em poucas palavras.
Beijos saudosos para ti!