terça-feira, 1 de setembro de 2009

No ponto de ônibus

Ainda não tive a oportunidade de comentar, mas eu não sou católica! Minhas crenças tomaram outros rumos. Um pouco menos óbvio para alguns.
Mas, nutro grande afeição pela crença.
Dias atrás, estava numa sexta feira à noite voltando pra casa quando passei diante da Igreja de Lourdes. Famosa igreja aqui de Belo Horizonte.
Pego ali meu ônibus que me encaminha para casa. E não é que, por mais um desses acasos da vida, passei justo na hora da entrada da noiva em pleno casamento?
Fiquei ali vendo a moça. Grandes sonhos devem movê-la para aquele momento.
De tão envolvida por aquele acontecimento, vendo ela e a igreja toda iluminada, que acabei perdendo dois ônibus, um atrás do outro e cheguei em casa bem depois do horário convencional.
Mas, acho que entendi.
Quem ama tem esperança né?
Sentimento nobre.
Não é atoa que sempre achei o amor uma boa opção!

6 comentários:

Rayza Santiago disse...

é verdade, é um sentimento nobre o/

e o amor ? eu nunca nem achei q ele fosse uma opção. o amor é tão imposto pra gnt q eu acho ate q peguei abuso dele. esse papo de é impossivel ser feliz sozinha me consome :p

beijos.

Emely disse...

...e poe esperança nISSO!

=)

Papagaio Mudo disse...

é... sim! claro, talvez...
abraços,


Gus

Aurora disse...

Uhuuu...que espaço aconchegante!
Posso entrar também??

Toninho Moura disse...

Amar é!

Passe lá querida!
Beijos!

ventosnaprimavera disse...

Muito bela sua poesia, e fala de esperança, sim, casamento é uma esperança de vida a dois, que se inicia geralmente ali e se estenderá enquanto forem felizes (que seja para sempre, esse é o compromisso com a esperança).Parabéns.Arnoldo Pimentel
Se puder visite meu blog.
http://ventosnaprimavera.blogspot.com